janeiro.png

Osu kinì òdún – Primeiro mês do ano | Séré - Janeiro

Domingo antes da primeira sexta-feira do ano
Orò Àwón Ésá- Obrigação em homenagem aos Ancestrais
(Cerimônia restrita aos integrantes da família da Casa de Òsùmàrè

Cerimônia dedicada especialmente a louvar os antepassados responsáveis pela fundação da Casa e do culto. Durante este ritual, solicita-se a benção e a proteção dos ancestrais para iniciar o ano com segurança e conhecimento.

Quinta-feira antes da primeira sexta-feira do ano
Orò Òrìsà Oko - Festividade em homenagem ao Òrìsà Oko
(Cerimônia restrita aos integrantes da família da Casa de Òsùmàrè, às 18hs.)

Cerimônia na qual se celebra o Òrìsà que habita as plantações e as searas, Òrìsà Oko é o patrono dos agricultores e pecuaristas. O ritual serve para solicitar fartura para todos, mas ainda é pouco conhecido no Brasil.

Primeiro Sábado após as Águas de Òsàlà
Orò Òrìsà Nlá - Festividade em Homenagem ao Òrìsà Nlá
(Cerimônia restrita aos integrantes da família da Casa de Òsùmàrè, às 18h)

Cerimônia em louvor ao Òrìsà das alturas, dono das bandeiras que cobrem o salão onde serão realizadas as cerimônias publicas. Durante esta celebração, se pede a paz para toda a comunidade.

Segundo sábado após as Águas de Òsàlá
Òro Ajé Sálùgá - Obrigação em Homenagem Ajé Sálùgá
(Cerimônia restrita aos integrantes da família da Casa de Òsùmàrè, às 18h)

Cerimônia dedicada ao Òrìsà da Riqueza, do dinheiro. Seu culto está quase extinto no Brasil. Nesta celebração, pede-se a este grandioso Òrìsà a prosperidade financeira.

Terceira sexta-feira após as Águas de Òsàlá (Encerramento)
Ajòdún Òrìsà Olúfón
Festividade em homenagem a Olúfón e encerramento das festividades de Òsàlá

(Cerimônia pública, às 20h).

Cerimônia em homenagem ao grande Òrìsà, Rei da Cidade de Ifón. É o encerramento do ciclo de celebrações para Òsàlá. Nesta obrigação, pede-se que todas as pessoas presentes sejam cobertas e protegidas pelo Alá (manto sagrado) de Òsàlá.

Segunda-feira antes da primeira sexta-feira do ano
Ajòdún Òrìsà Èsù - Festividade em homenagem Èsù
(Cerimônia pública, às 12h.)

Cerimônia que objetiva pedir ao Òrìsà Èsù – divindade do princípio e do dinamismo - a proteção para realizar com harmonia as ações a serem desenvolvidas ao longo do ano.

Primeira sexta-feira do ano
Àwón Omi Òsàlá - Cerimônia das Águas de Òsàlá
(Cerimônia pública realizada a partir das 4h, os participantes devem chegar na Casa no dia anterior)

Na noite que antecede a cerimônia, todos os abòrìsà (Adoradores de Òrìsà) dormem no terreiro, sendo purificados através do Omi èrò (Água que acalma). Vestidos de branco, na madrugada (Ojúmómó) de sexta-feira, em silêncio absoluto, todos seguem em procissão a caminho da fonte sagrada de Òsàlá (Orísun Òsàlá), para carregar a água que será utilizada para lavar os objetos sagrados do grande Òrìsà e, através destas ações, purificarem o corpo e alma.

Primeiro domingo após as Águas de Òsàlà
Orò Ìkórè Iyán Ati Odó Òrìsà Ògiyán - Obrigação da Colheita dos Inhames e Pilão de Ògiyán (Cerimônia Pública, às 20h.)
Cerimônia dedicada ao grande guerreiro que veste branco. Única data, em todo o calendário religioso, em que o Pilão de Ògiyán, maior símbolo deste Òrìsà), sai em procissão para ser adorado publicamente pelos seus fiéis. Esta cerimônia tem a finalidade de pedir ao grande guerreiro que interceda em nossas batalhas e agradecer pela fartura da colheita de inhames.

Segundo domingo após as Águas de Òsàlá
Ajòdún Ódùdúwa Ati Àwón Òrìsà Funfun
Festividade em Homenagem a Ódùdúwa e aos Òrìsà Funfun.

(Cerimônia Pública, às 20h.)

Cerimônia na qual o grande Òrìsà da criação Ódùdúwa, responsável pela origem da cultura yorubá, é exaltado através de cânticos milenares, entoados somente nesta ocasião. Durante os rituais, os aborìsà agradecem a Deus a existência no mundo por intermédio de Ódùdúwa.

Primeira segunda-feira após o encerramento das cerimônias de Òsàlá
Ajòdún Ògún (Festividade em Homenagem a Ògún)
(Cerimônia pública às 20h)

Cerimônia pública, em louvor ao Òrìsà; patrono dos ferreiros, da tecnologia, do trabalho, senhor das guerras e dos caminhos, Ògún é celebrado para garantir o progresso e as realizações.