lineafrika2.png

Apresentação

Ilé Òsumàrè Aràká Àse Ògòdó, conhecida como Casa de Òsùmàrè, templo tradicional do Candomblé. Uma instituição ativamente engajada em iniciativas sociais que visam a contribuir para o desenvolvimento das comunidades localizadas no seu entorno geográfico e político, a partir da valorização do rico legado cultural afrobrasileiro. Com uma comunidade religiosa espalhada por todo o país e pelo exterior, com mais de mil terreiros descendentes, a Casa de Òsùmàrè foi reconhecida como território cultural afro‐brasileiro pela Fundação Cultural Palmares, em 2002, como patrimônio do Estado da Bahia pelo IPAC, em 2004, e como patrimônio nacional pelo IPHAN, em 2014. Sua história é parte da história do Brasil.

Desde sua fundação, no início do século XIX, a Casa de Òsùmàrè se consolidou como espaço de resistência e manutenção de tradições africanas milenares. Em 1988, foi criada a Associação Cultural e Religiosa São Salvador, regularmente inscrita no CNPJ. MF sob o número: 32.699.001/0001-62, entidade jurídica que representa a Casa de Òsùmàrè, instituição de utilidade pública.

Como templo religioso, a Casa de Òsùmàrè realiza ações beneficentes, constrói políticas públicas, luta pela democracia e pelos direitos humanos e sociais, além de participar de várias redes de apoio à população mais necessitada e à população negra e religiosa de matriz africana. Tais ações são um importante mecanismo de transformação social, realizando atividades culturais e educacionais que visam a ampliar oportunidades de empregabilidade e de geração de renda de pessoas socialmente vulneráveis.

Ao longo dos anos, a Casa de Òsùmàrè priorizou o trabalho com crianças e adolescentes, a educação para a cidadania e a formação cultural a partir de seus princípios. Desse modo, os projetos sociais executados têm como finalidade cumprir com os seguintes objetivos:

(1) Reduzir a vulnerabilidade e os fatores de exclusão social;
(2) Promover a valorização cultural e social do idoso;
(3) Qualificar adolescentes e jovens para a cidadania e para o trabalho;
(4) Garantir a segurança alimentar e nutricional de jovens, adultos e idosos;
(5) Incentivar os cuidados básicos de atenção à saúde e a prevenção das doenças;
(6) Difundir valores de cidadania e informações sobre direitos e serviços públicos;
(7) Promover o respeito inter-religioso e os direitos humanos.

No entanto, o sucesso destas ações depende da atuação conjunta de todos os setores da sociedade, para garantir tanto o impacto das ações, quanto a sustentabilidade dos benefícios gerados. Dessa forma, a Casa de Òsùmàrè dialoga com o poder público, a iniciativa privada, a academia, as demais religiões e as organizações do terceiro setor, no sentido de articular parcerias que permitam o desenvolvimento social, educacional e artístico de crianças, adolescentes, jovens adultos e idosos.

Dada a relevância do trabalho realizado e do papel que desempenha como agente de transformação social junto às comunidades locais, a Casa de Òsùmàrè participa de importantes discussões sobre a criação de políticas públicas e o desenvolvimento das comunidades atendidas nos projetos

lineafrika2.png

Diretrizes de atuação

organograma_diretrizes.jpg

atividades desenvolvidas

Celebração do Dia Mundial de Luta contra o HIV/AIDS (2006)

Em parceria com a Coordenação de DST/AIDS, da Secretaria Municipal de Saúde e a Instituição Beneficente Conceição Macedo (IBCM), a Casa de Oxumarê realizou em Salvador as comemorações do Dia Mundial de Luta Contra a AIDS. O evento contou com a participação de artistas, intelectuais e personalidades mediáticas da Bahia, alcançando grande destaque nos meios de comunicação.

atividades em

execução

Atendimento Jurídico

Por meio da rede de seus filhos-de-santo e parceiros institucionais, a Casa de Oxumarê auxilia a comunidade no acesso a serviços judiciais. Este apoio ocorre de modo não sistemático, mas a Casa possibilita a quem necessita a fazer representação e acompanhar o trâmite de processos judiciais. Contudo, anualmente, é promovido o “Dia do Atendimento Jurídico” durante o qual é oferecido atendimento à comunidade e o encaminhamento para os órgãos públicos competentes.

Distribuição de Alimentos por Conta Própria

A Casa de Osùmàré mantém diariamente a doação de alimentos para a comunidade e entorno.

Projeto Ilê Ogbon - Casa da Sabedoria

O projeto Ilê Ogbon acontece simultaneamente em 3 terreiros da cidade numa parceria entre as Casas, a Cesol – Centro de Economia Solidária e Setre – Secretaria de Trabalho Emprego e Renda do Estado da Bahia. Pensando numa perspectiva de Economia Solidária que é hoje uma das vertentes utilizadas pelo movimento feminista como uma forma de empoderamento feminino, não só na cidade mas também no Campo e na Floresta, a Casa faz sua escolha em trabalhar com E.S. por ser um dos desejos do Ilê empoderar suas/seus filhas/os. Trabalhar com os terreiros em parceria é uma forma de manutenção da união e acolhimento que é uma das práticas diárias de uma Casa de Candomblé, além de divulgar os produtos fabricados em cada Casa.

Na Casa de Oxumarê a produção continua com os cursos de Corte e Costura e Bordado, com a orientação de Ekede Jó (corte e costura) e Ebomi Rita de Omulú (bordado) e comercialização dos produtos confeccionados pelas alunas com a orientação das profissionais; no Terreiro do Bogum é oferecido o curso de Estética Afro brasileira (trançado, maquiagem) e no Terreiro Obá Tony a produção fica por conta da Culinária Afro brasileira e já acontece também a comercialização dos produtos, as turmas tem até 15 participantes.

 

Informações sobre cursos estão disponíveis na Casa de Oxumarê através do tel. 71 3331 0922 ou presencial.

Projeto Omin Lolá - Águas da Felicidades

Em parceria com a Fundação Lar Harmonia, a Casa de Oxumarê realiza cursos de Corte e Costura e Bordado, uma ação na qual Casa pensou o empoderamento de mulheres de Terreiro e uma forma aonde estas mulheres tivessem a possibilidade de além de confeccionar suas vestes religiosas pudessem também usar o aprendizado para aumento de renda. Cm uma procura muito boa de vagas o curso é ministrado por Filhas da Casa a exemplo de Ekede Jó no corte e costura e Ebomi Rita de Omolú no curso de bordado.  As aulas acontecem 2 vezes por semana nos turnos matutino e vespertino. Hoje, a Casa já começa a comercializar as indumentárias religiosas tanto para as/os filhas/os da Casa como para pessoas de outros Terreiros que procuram para aquisição dos produtos.

Vale ressaltar que outros projetos estão sendo encaminhados aos diversos órgãos financiadores para que a proposta de trabalhar o social e acolhimento da comunidade tanto do Ilê Oxumarê como do entorno, possa abranger outros de interesse da comunidade.